Dude.

O Facebook hoje me sugeriu, como já havia feito outras vezes, mandar uma mensagem pra Dude… Doeu o coração assim como todas as outras em que ela aparece nas atualizações… Uma saudade absurda de alguém com quem eu nunca realmente cheguei a conviver, mas que tocou a minha vida de uma maneira especial assim como a de todos os outros privilegiados que tiveram a honra de conhecer…

Alma iluminada essa viu? Sorrindo sempre até mesmo na dor… Admiro pessoas assim. Ensaio um textinho sobre essa falta há meses, mas hoje encarei o teclado. Chega de adiar a homenagem, assim como adiei a amizade desde sempre. Júlia foi uma dessas, que aparecerem na minha vida por conseqüência, presentinho de Deus que a gente tem que aprender a enxergar. Sempre nos gostamos muito, mas eu tenho essa mania de achar que mais pra frente as coisas acontecem e que nada pede urgência… Nunca me empenhei em conviver mais, em ter mais notícias, em manter contato. Tanto é que me sinto meio intrusa ao falar sobre ela. Mas coração é coração, e ela com certeza é eterna no meu.

Eu creio Nele e no plano Dele para cada um de nós. Por mais que não me conforme com o andar de várias situações, há de se buscar fé e tentar aceitar algumas de Suas resoluções… Não é fácil, mas várias outras coisas nessa vida não o são… E a gente aprende a conviver com a dor, com a revolta, com a incerteza, com as especulações… E se acostuma a olhar aquele perfil ali, e a imaginar por alguns segundos ao menos, que tudo não passa de uma brincadeira… Que ela vai responder as mensagens… Que daqui a uns meses vem visitar a gente de novo, linda, feliz, apaixonada e reluzente. Com seu amor à tira colo e mil historias novas pra contar…