‘id’ alheio maldito

Eu aqui, no terceiro ‘virote’ consecutivo da semana, assistindo a minha amada Ally McBeal, e tendo os maravilhosos insights que qualquer seriado dramático é capaz de me proporcionar. Já escrevi a pérola pro blog de hoje, e já penso inquieta na que virá depois dessa. Vamos por partes…

O diálogo marcante do episódio de hoje diz assim: ‘’no centro de um homem, está seu ego. No centro do ego, encontra-se o id. Se uma mulher impede que seu id se sinta bem, o homem condicionará seu id a rejeitá-la.’’ E de repente, de uma forma mais rápida e eficaz do que até a minha brilhante psicóloga foi capaz de fazer, entendi a dinâmica de todos os meus relacionamentos frustrados, principalmente do último. Talvez quem não realmente me conheça, vai ler isso e pensar: alfinetada em ex(s). Mas os HOMENS que o fazem, e mais importante: que partilham do que é transformar as experiências pessoais em textos que não esclarecem só a quem os escreve, vão entender.

Nós, mulheres de personalidade forte, independentes e bem resolvidas, já aprendemos a lidar com o fardo em que se converteu ter tais requisitos: uma certa solidão. Eu pelo menos, afirmo com certeza que mesmo que não me agrade 100% a idéia, já me resignei à real dificuldade que é, hoje (em Bh!!), e ainda por cima vivendo mais a ‘noite’ que o dia, encontrar a tal metade da laranja pra fazer meu copo de suco. Mas a esperança existe, como em todas as outras coisas que eu ainda considero justo investir.

Mas o que tem me incomodado muito mais do que essa dificuldade na procura, é que as laranjas de hoje em dia estão tão absortas em seus próprios egos, que são incapazes de perceber que é seu próprio id nos rejeitando. Insistem em apontar defeitos em nós que só existem na cabeça de quem precisa inventá-los, pra justificar a própria incapacidade de entrega (ao outro) e renúncia (de si mesmo). – ok, esse parágrafo foi alfinetada sim.

Eu não tenho achado nada fácil separar minha vida pessoal das coisas que publico, mas não consigo escrever sem usar como foco e exemplo tudo e todos que vivi, pois são de onde aprendi minhas lições. Difícil não usar meu próprio ego como base pro que quero passar nos textos. É a minha essência, minha causa, minha batalha interna: aprender a lidar com essa rejeição, que infelizmente não parece cessar… id alheio maldito! Hahaha…

Anúncios

2 Respostas para “‘id’ alheio maldito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s