Dê o seu grito

Não sei ser comedida. Quando gosto de alguma coisa, gosto muito. Quando quero algo, quero muito. Quando amo, é aquele amor que dói, de tão com força. E quando não gosto, não quero, ou não amo, meu amor: sai da frente…

Já tentei agradar muito, a todos e por muito tempo. Mas aprendi com os anos, que quem é assim não desperta admiração. Muito menos respeito. Além do que, também não é nem um pouco saudável pra formação do caráter e auto estima de ninguém. A não ser que o seu sonho seja o convento.

Geralmente, quem sempre abaixa a cabeça e concorda, não cresce. Não aprende. E obviamente, não cria voz. Ando pegando fama de mal humorada porque reclamo muito, mas as coisas não são bem assim (quem conhece sabe o tanto que é bom rir das bobeiras que falo, e a doçurinha que consigo ser quando quero). Reclamo sim, de muito do que me incomoda perceber no mundo e nas pessoas. Nos comportamentos, relacionamentos… Mas eu não reclamo da vida em si. E nem poderia. Ela tem sido ‘ótima’. Não perfeita, e nem gostaria se fosse. Mas ótima sim. Reclamo das joselitices alheias, da falta de noção que impera mundo afora e adentro (de cada um e de cada mundinho). Reclamo de injustiça, de indiferença social, de programas de TV, de mim e de você. Numa escala que abrange assuntos realmente importantes, às banalidades mais frívolas do cotidiano nosso de cada dia. Mas pelo menos não me conformo. E cá pra nós, minhas reclamações são mais num tom de crítica com esperança numa possível mudança/melhora nos tópicos abordados. Não é só veneno, como vejo muito por aí…

E é isso: ando cada vez mais resoluta ao grito mesmo. Não gostou? Fale. Não quer fazer? Admita. Parou de gostar? Termine. Empurrar as pessoas com a barriga por ‘dó’ de falar a verdade acaba gerando só dor de cabeça quando você alcançar a borda. É mais difícil manter a empatia alheia por você, uma vez que começa a ‘peitar’ quem está acostumado a ter sempre razão. Mas a longo prazo, é um bem que a gente faz a si mesmo, manter cada um seu próprio ponto de vista. E quem realmente gostar de você, não vai se afastar só porque você pensa diferente. Cada um tem um caminho a trilhar e cabe só a nós mesmos as escolhas feitas durante essa caminhada. Porque o seu destino, só você é capaz de saber. Você e mais ninguém…

Anúncios

6 Respostas para “Dê o seu grito

  1. Sininho,

    Seu texto me lembrou uma história. Uma vez eu me queixei ao pediatra do meu filho como me incomodava a dominação que um garotinho tentava exercer sobre ele. O menino tomava os brinquedos dele, ameaça não ser mais amigo se meu filhote não fizesse lhe fizesse as vontades e por ai vai.

    Detesto qualquer tipo de achacamento físico ou psicológico por considerar cruel e covarde. Queria uma ajuda sobre como mostrar ao meu filho que não é preciso fazer todas as vontades dos outros para ser aceito e respeitado, pelo contrário, era exatamente quando tranquilamente demonstramos nossas posições que se consolida o respeito e admiração das pessoas.

    Mas o Victor tinha 3 anos! Como eu iria conduzir essa conversa? O pediatra me deu a seguinte resposta: – Você quer que um bebê saiba dizer não, eu demorei 40 anos e centenas de sessões de psicoterapia para conseguir contrariar a vontade de alguém! Pasmei!!!!

    Um homem adulto que não sabia dizer não. Isso era inconcebíbel para uma pessoa como eu que nunca teve a menor dificuldade de se impor! Fiquei remoendo isso semanas e observando o mundo ao meu redor. Como as pessoas são inseguras e temerosas em relação a opinião alheia! Ai, Sino, entendi porque me chamam de metida e brava e tive um assesso de riso enorme! Quer dizer que era isso? O fato de eu ser capaz de posicionar perante as coisas e não estar nem aí para a opinião alheia me tornava brava e metida? Muito hilário!

    E ai relaxei total! Prefiro ser uma metida brava do que uma boazinha sem sal.

    Ah! E quanto ao Victor? Nem precisei me preocupar. Em poucos dias ele pos o amigo no lugar dele! Rolou uns sopapos mas nessa idade é normal! rsrsrs

    Filho de peixe não morre afogado.

  2. Eu discordo de muita coisa que vc diz, acho que ja chega ficar so chamando as mulheres de piriguetes !! E os cafagestetes heim?? Te acho tradicionalista e machista ( vc esta sempre do lado masculino, sempre ) quanto mais leio o que vc escreve mais acredito que mulheres realmente odeiam outras mulheres, especialmente aqui em BH. Vc tb mencionou que luta pela desigualdade social, engraçado nunca li nada ou ouvi dizer que vc participou de algum evento em prol a alguma comunidade, so leio a respeito das baladas burguesas que vc frequenta e trabalha. Chama quem não é tão “cool” quanto vc de creiço e etc… Bom como vc mesmo disse a gente tem ser a gente mesmo , dizer e fazer o que quisermos e também termos a maturidade de ouvir a opinião alheia caso sirva para alguma coisa ou não. Menina meu conselho pra ti è de morar no exterior um tempo, vai abrir essa cabeça, sai desse BH patriarquista um pouco vai ver o mundo, vai te fazer super bem!
    De quem não ta nem ai!

    Peace

    • Ale, vou comentar só duas partes, porque o resto me deu preguiça:
      1. Eu nao luto pela desigualdade social nao, ela me irrita e gosto de falar sobre o que me incomoda, só isso. Mas realmente, sou ativista de sofa, acabo nunca fazendo quase nada…
      2. Quem ”nao ta nem aí” nao se dá ao trabalho de comentar muito menos de ficar lendo o que eu escrevo.

      E sim, eu sei que minha cabeça é machista e que PRECISO morar fora, mas não tenho grana pra isso por enquanto. Bjão e obrigada pela sua opinião!

  3. Valeu Sino! Deixa só eu ressalvar que leio varios artigos online de varios diferentes sites , autores, reportagens etc. Eu leio de tudo online, coisas que gosto pra caralho coisas que não gosto, coisas que acho um saco etc, o que vc escreve é so mais um artigo online pra mim nada mais, e pra ser sincera gosto de ler o que vc escreve sim, é tão diferente da forma que eu vejo o mundo e penso … isso é muito bom sim, abre a cabeça da gente ajuda a entender e aceitar as diferenças. Quando assinei que não tô nem ai, so quis dizer que não to nem ai pra esse mundo que você tanto descreve de baladas e festas, cheias de gente falsa e interesseira, eu num to nem ai pra essa galera, pode me chamar de hater sim, no f* problem, como eu disse não to nem ai, não quero viver around um punhado de fakes …. quem não quiser ler, não leia, quem quiser escrever aceite critica e saiba crescer quem quiser me chamar de hater vai fundo não to nem ai…. Blz?
    Tenho certeza que vc conhece alguem que pd te dar uma força pra passar uma temporada fora sim darling! For you —> it is a must !! Vai só enriquecer sua vida !!

    De quem pensa quando ler algo(melhorou?)

    Yours Truly,

    A.T

    • Esse mundo que voce não vive é a minha vida desde os
      17 anos, e nele tem muita coisa podre que contamina a minha visão
      mesmo. Eu aceito que você discorde, porque obviamente vivemos
      realidades e experiências diferentes. Mas não dá pra uma julgar a
      outra. Não devia ter te chamado de hater, mas foi pela má interpretação
      de uma frase mesmo. Eu também me acho machista, e realmente não tenho
      saco pra mulher. Cada vez mais meus amigos são homens, daí vem muita
      coisa que escrevo e penso. E to tentando agilizar uma viagem pro ano
      que vem, com certeza vai ter texto sobre se eu for. rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s